NewsletterInstagramTwitter Facebook

Publicado em:
7
4/2017

Levantamento da Sead mostra que Bio Brazil Fair amplia negócios

Empreendimentos brasileiros que participaram da feira em 2015 passaram a comercializar seus produtos em mercados diferentes e mais distantes de seus locais de produção

De acordo com técnicos da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, a BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA viabilizou o contato com indústrias, projetos governamentais, fornecedores de insumo e tecnologia, certificadores e consultorias variados – o que ampliou o campo de atuação dos participantes da feira.

Dessa forma, a oportunidade de exposição em um evento desse porte – uma das maiores feiras de produtos orgânicos realizada em São Paulo – trouxe grandes oportunidades para os expositores e cerca de 6.300 famílias foram beneficiadas diretamente pelas cooperativas das regiões Sul, Centro-Oeste, Norte, Sudeste e Nordeste.

“É um número bastante significativo. A Sead vê a participação dos empreendimentos como uma forma de valorização da agricultura familiar. Além de divulgar os produtos, é também uma maneira de qualificar os empreendimentos”, ressalta a consultora de promoção comercial da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF), Mônica Souza.

A clientela gerada em sua maior parte foi do setor de atacado, mercado, lojas especializadas e representação comercial. Os novos negócios potencializaram a disseminação da produção orgânica dos agricultores familiares envolvidos, o que contribuiu para a geração de renda e manutenção das famílias no campo.

Também, por outro lado, a procura cada vez maior por alimentos mais saudáveis à mesa foi um estímulo para a expansão do modelo agroecológico. De acordo com Mônica Souza, os empreendimentos que investiram nesse cenário estão comprovando o fortalecimento surpreendente da sustentabilidade ambiental, social e econômica.

Na BIO BRAZIL FAIR, as cooperativas que participaram com o apoio da Sead em 2015 tinham em seu estande sementes, arroz, doce de umbu, doce de banana e de maracujá, compota de umbu, kit de doce de umbu orgânico, umbu bom, polpa de umbu, polpa, mel, melado, açúcar mascavo, polpas de frutas, sucos, vinhos, café orgânico tradicional, torrado e moído e castanhas variadas. Tudo com certificação orgânica, seja por auditoria, sistema de participação de garantia ou ainda por organização de controle social.

Naquele ano, foi constatada uma grande participação de empreendimentos da região Sul do País. A equipe da Sead acredita que isso se deve em função da proximidade geográfica com o local de realização da feira (São Paulo) e por haver muitos negócios estruturados no modelo agroecológico. Um exemplo de sucesso foi a Cooperativa de Produtores Ecologistas de Garibaldi Ltda (Coopeg), do Município de Garibaldi, Serra Gaúcha no Rio Grande do Sul.

Constituída juridicamente em 2001, com 31 associados, a Coopeg hoje agrega 57 agricultores familiares preocupados em produzir de forma sustentável, sem agredir o meio ambiente. O trabalho consiste na produção orgânica de hortifrutigranjeiros, molho de tomate, doces, uvas e seus derivados como sucos, vinhos e espumantes. Graças à participação na feira, o faturamento aumentou 15%, segundo Salete Arruda, que era presidente da Coopeg em 2015.

“Para nós foi de imensa alegria essa oportunidade e poder mostrar para vários lugares nossos produtos orgânicos. Mudou muito a nossa realidade, principalmente porque conseguimos novos mercados. Com isso tivemos que produzir mais e ganhamos mais visibilidade, é uma cadeia que movimenta tudo”, explica.

Atualmente a cooperativa comercializa seus produtos para quase todos os estados do País. A última entrega de vinho foi para o Acre. O espumante, que rendia entre R$ 4 mil e R$ 5 mil ao ano, rendeu cerca de R$ 20 mil em 2016. A clientela, então centralizada, tornou-se diversificada. “A gente não tinha mercado para comercializar e por telefone é muito difícil arrumar compradores. Com o suporte da Sead, sentamos com os lojistas e conseguimos explicar como o nosso produto é diferenciado, artesanal e respeita a natureza. Esperamos participar da próxima Bio Brazil”, conta Salete.

Os produtos da Coopeg podem ser encontrados em feiras ecológicas, mercados especializados e nas sessões de orgânicos de grandes redes. A cooperativa já se inscreveu na próxima Chamada Pública para a BIO BRAZIL FAIR 2017, que está aberta desde o dia 23 de março.
Até o dia 9 de abril, está aberta a chamada pública que vai selecionar 10 empreendimentos de produção orgânica para participar da 13ª edição da BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA. Além da certificação de orgânico, para participar do evento com o apoio da Sead é preciso ter Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) jurídica. E as cooperativas que tiverem o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf) ou fizerem a solicitação até a data limite da inscrição vão receber maior pontuação na seleção.

Cada empreendimento selecionado terá espaço equipado para expor e comercializar os produtos, estande decorado e catálogo de apresentação comercial. Os participantes também vão ter oportunidade de compor as rodadas de negócio para palestras durante o período da feira.

“É uma vitrine da agricultura familiar e um momento de troca de conhecimento e busca pelas oportunidades de mercado. A feira permite as cooperativas a realização de vendas diretas e novos negócios. É uma oportunidade de conhecer a demanda do mercado e as tendências”, conclui a consultora de promoção comercial da SAF, Mônica Souza.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sead