Notícias


Publicado em:
26
2/2018

Como identificar um cosmético vegano e cruelty-free

Um cosmético natural nem sempre é sinônimo de um consumo livre de crueldade.



Metatags:

Um cosmético natural nem sempre é sinônimo de um consumo livre de crueldade. Assim como um item vegano nem sempre é garantia de uma fórmula natural.

Um hidratante corporal pode ser orgânico, por exemplo, e levar cera de abelha em sua fórmula. O mesmo acontece com os itens cruelty-free (em português, livre de crueldade), selo usado para definir os itens não testados em animais, mas que podem ter em sua composição, sim, ativos com origem animal.

VEGANO
O cosmético vegano, por definição, não contém em sua fórmula ingredientes de origem animal – caso da cera de abelha (bee wax), lanolina (sebo), queratina, ativos muito presentes em hidratantes labiais, condicionadores e hidratantes. E também não pode conter ativos testados em animais. Mas atenção: um cosmético vegano, não necessariamente, é natural ou orgânico.

CRUETLY-FREE


Selo “cruelty-free”

O termo cruetly-free (livre de crueldade), é usado para definir produtos que não foram testados em animais. Um item nesse nicho não é, necessariamente, vegano – livre de ingredientes de origem animal, caso da cera de abelha. Com o aumento da procura por itens em sintonia com a causa animal, muitos marcas se dizem livre de crueldade, mas pode acontecer de, um ativo ou outro, ter, sim, passado pelo processo que usa algum animal como cobaia. Vale a pena acompanhar o trabalho da PEA (Projeto Esperança Animal), que anualmente lista todas as que não realizam testes em animais.

Texto originalmente publicado na reportagem “Como identificar um cosmético natural” no portal a Naturalíssima.


Fonte: Portal a Naturalíssima


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

BNDES investe R$ 10 milhões para geradora de energia a partir do lixo

Planta piloto de tratamento e aproveitamento energético do lixo orgânico foi inaugurada na Estação de Transbordo da Companhia Municipal de Limpeza Urbana no Rio de Janeiro.
Leia Mais