Mercado

São Paulo institui programa municipal de combate ao desperdício de alimento

O programa já doou mais de 112 toneladas de frutas, legumes e verduras para entidades assistenciais.

 

O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, assinou o decreto que institui o Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos.

O programa, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, coleta alimentos em feiras livres, mercados municipais, que estão em boas condições de consumo, mas que seriam descartados por não possuir valor comercial e doa para mais de 300 entidades assistenciais cadastradas junto ao Programa Banco de Alimentos da Prefeitura.

Com o decreto, o programa, que é desenvolvido atualmente em dois mercados municipais e sete feiras livres, ganha força e poderá ser expandido para toda a cidade.

“Desde o início do projeto-piloto já doamos mais de 112 toneladas de frutas, legumes e verduras. Pretendemos ampliar gradativamente nossa atuação nas feiras e outros equipamentos, dando o exemplo para que as pessoas façam o mesmo dentro de casa ampliando o uso de alimentos, eliminando o desperdício e diminuindo a produção de lixo orgânico na cidade”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Atualmente, 39 beneficiários do POT – Programa Operação Trabalho são responsáveis pela coleta, transporte e triagem dos alimentos doados por feirantes e permissionários.

Além da bolsa-auxílio no valor de R$ 1.047,90 por 6 horas de trabalho de segunda a sexta-feira, os participantes recebem qualificação profissional para a manipulação de alimentos e normas da vigilância sanitária, ação que os capacita para atuar no setor alimentício, especialmente em restaurantes, mercados e feiras.

O número de vagas do POT poderá chegar a 200 para atender a expansão do programa em outras feiras na Capital. A equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho fará agora uma análise das feiras que poderão fazer parte até o final do ano.

Para incentivar os permissionários e feirantes a aderirem à campanha, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho criou o selo do Combate ao Desperdício, que é distribuído àqueles que participam da ação. Assim, eles podem mostrar aos seus clientes que são comerciantes socialmente responsáveis. O Programa atende o Plano Municipal de Segurança Alimentar (Plamsan).

 

Leia também: Horta orgânica está entre as boas práticas de hospital

Leia também: Benetton quer usar algodão 100% sustentável até 2025

 

Fonte: Primeira Página com informações do site ABC do ABC.

Redes Sociais